Diz-se Associação, porque é um grupo de pessoas unidas pelo mesmo gosto, pelo mesmo querer, pela mesma vontade e mesmo objectivo. Diz-se Enográfica porque, se bate pela defesa e promoção dos valores patrimoniais em todas as suas dimensões e vertentes. Associação Cultural, porque preserva e divulga as tradições, usos e costumes do povo da nossa região, do Baixo Minho, através de um grupo de folclore o qual é e pretende ser a expressão actual da forma de viver e sentir das gerações passadas, a força e vontade de comunicar os testemunhos da identidade local e regional, a alegria da fraternidade e solidariedade como valores universais. O Grupo foi fundado em 26 de Novembro de 2012, conta com cerca de 100 associados; e conta sobretudo com o carinho e vontades das gentes de Prado para a prossecução dos seus fins: a defesa, protecção e valorização da etnografia e folclore, nomeadamente das danças e cantares, divulgação do património cultural e etnográfico da Vila de Prado e do Baixo Minho.

A Associação, o seu Rancho Folclórico, apesar de só ter dois anos de vida, tem já no seu reportório várias atuações, das quais salientamos, a sua primeira atuação, na Cerimónia de abertura do Campeonato da Europa de Maratonas em canoagem realizado na Vila de Prado e a cerimónia do Batismo, realizada nas Festas da Vila de Prado de 2013 pelo Rancho Folclórico de Santa Eulália de Cabanelas. Os elementos da Associação Etnográfica e Cultural Rancho Folclórico da Vila de Prado, trajam a rigor, seguindo as tradições do folclore do baixo Minho.

A sua tocata é composta por vários instrumentos, dos quais salientamos, a concertina, cavaquinho, violão, reque-reque, ferrinhos, bombo, etc. Tem, actualmente no seu reportório cerca de uma dezena de danças e cantares, onde predominam o Malhão de entrada, Vira arrastadinho, trocado e corre, corre Rio Cávado, Chula batida e picada, Cana Verde rasgada e de saída, etc.